domingo, 4 de abril de 2010

"Poesias de Março"


De praia em praia
em meio as relaxadas conchas
Que ali pela orla espalhadas
dividem espaço com as ondas
E testemunham
as minhas súplicas escancaradas,

Que eu ofereço a minha dor.
Não a entrego como uma oferenda
O gosto da decepção não é doce
e eu ainda espero que o sujeito
tenha a merecida reprimenda
Pelo mal feito
a meu tão frágil coração.

Nenhum comentário: