quinta-feira, 29 de julho de 2010

Sonetando("Palavras",de Bernardo Trancoso)



Espero te encontrar, quero sorrir
Ao te abraçar, matar minha saudade.
Do peito, hei de arrancar felicidade,
Se a palavra ALEGRIA inda existir.

Vou, se o teu coração me permitir,
Eternizar num beijo a ansiedade
Louca, de te adorar, doce verdade.
Vou, se a palavra AMOR inda se ouvir.

Pois, agora, a distância me entristece.
Todo arrependimento nem socorre
A SOLIDÃO, palavra que aparece.

Se eu não morrer de prece, há de ser porre.
Uma oração, porém, a dor esquece:
A palavra ESPERANÇA nunca morre.

Nenhum comentário: