domingo, 11 de julho de 2010

Tarde demais...


Eu não queria saber de mais nada naquela noite,a não ser me encostar no teu ombro e dormir,como uma criança amparada nos braços do pai...Era isso que você representava pra mim,um pai.Na verdade,eu achei que esqueceria a desilusão de outro alguém nos seus braços,e tudo que eu causei pra nós dois foi só sofrimento,angústia e vazio.E tudo por quê?Por causa da minha carência exacerbada...
Não,não venha me culpar por eu não ter correspondido a altura,pois no começo na ânsia de me conquistar,disse que "com o tempo farei você me amar!".E esse tempo não chegou.O que chegou foi o ciúme doentio,voraz...e com ele as incessantes brigas e desentendimentos.Nunca imaginei que a minha vida pudesse se tornar um inferno sem proporções!
Por isso,entre os meus devaneios,sonhava em me "desprender de você",pois pra mim aquilo tudo já era um fardo pesado.Sim,um fardo pesado demais,eu já estava exausta!Não de você,mas de mim mesma.Como eu pude deixar a situação chegar nesse ponto?Me sentia culpada,e ao mesmo tempo vítima,não de uma armadilha do destino,mas sim de algo que eu achei fácil de manusear:O MEU CORAÇÃO.
Com ele não se brinca.Ah....a gente pode achar que é dona do nosso destino,da nossa vida,dos nossos pensamentos e ações...dos nossos sentimentos!Mas ele sempre sinaliza que não adianta,o que ele traçar,tá feito.E na maioria das vezes ele,teimoso que só,fez por mim as piores escolhas...
Eu só peço que o tempo cure tudo...apagar eu sei que não dá,mas pelo menos cicatrizar.E acredite,eu não tive a intenção de te ferir.


#Reflexões de terapia...sei que alguém nesse mundo deve se encaixar em experiências idênticas as minhas...

Nenhum comentário: