domingo, 16 de outubro de 2011

"Repaginada 2.3"


Como resistir
a vida que me convida
lá fora?
Como renegar
essa flor que,
tão bela
em mim desabrocha

Amadurecida não sou
bem por completo
O tempo voou
nem mesmo sei ao certo
mas as lições penetraram
em meu corpo ficaram
e agora cabeça erguida
Não quero mais a vida sofrida

São 23 estações
cada uma com uma história
e no final da linha do trem
restará a memória
de que houve canto em que achei tristeza,
dureza e pranto
Mas que tudo isso me fez aprender
e tanto!

Que já não sou mais a moça
que espera o seu príncipe
encantado
e sim a moleca
que dança na chuva,
e no meio da poça
encontrará seu sapo
Vai bater papo
e justo quem jamais fora notado
é que será seu bem querer.

Se isso não acontecer
garçom,um achocolatado!
Ela é osso duro de roer...
E lá vai ela novamente
se aventurar na emoção
feito gente
Mas gente grande de verdade
ainda será
O processo é meio doloroso
tão cedo acabará
Mas não há mais nada que a surpreenda
Nem beijos demorados
Nem vestido de renda
Não há anel de noivado
e ela não faz mais cena...

Nenhum comentário: