sábado, 7 de janeiro de 2012

"Pacto"


Sem pressa,sem ímpetos inadequados,sem imaturidade,sem desespero...


Vamos esquecer o passado
Eu preciso e você também
Não me venha falar dos seus traumas
Pois eu quero te tratar bem

Somos duas almas penadas
Vivendo no museu
Temos as mãos atadas
por um amor que não valeu

Então vamos unir nossas vozes
Numa só canção
Por mais que evites o doce
Te garanto que não resistiria
ao meu coração.

Eu sempre achei que soubesse
O que era amor de verdade
Sonhava com o dia em que houvesse
A tão sonhada realidade

Mas a nossa convivência
Tem despertado em mim
uma amizade genuína
Uma ternura sim

E talvez daqui há um tempo
quando as cicatrizes fecharem
Haja tempo no plano do nosso Deus
pra nossos sonhos se acharem.

Nenhum comentário: