segunda-feira, 27 de outubro de 2014

"Transição"

Saindo do forno,quentinha (Compus hoje mesmo)

"Transição"

Eu sou uma mulher que brinca de bonecas
Uma menina que tropeça de salto
Uma aprendiz,ganhando merrecas
Uma guerreira,sem sobressalto.

É difícil falar
Dessas minhas contradições:
Ora sou a delicada bailarina,
levando na valsa
as minhas queridas meninas,
Ora pareço uns molecões,
Que descem o gueto comigo,
Pra pegar no batente.
Na multidão não sou,
Nem melhor nem pior:
Apenas diferente.

Quem me dera saber
O que o futuro me reserva
Assim erraria menos em escolhas
Mas Deus tem o voto de Minerva.
Nasci,cresci,não me reproduzi.
Não quero morrer,apesar de aceitar
que tudo tem um fim.

A ansiedade continua
corroendo as minhas veias
O coração palpitado anseia
Por sei lá o quê.
É tão insano ser mulher
Nem tente me entender!

Sou uma mina do gueto
Não tenho mimimi.
Aliás,eu tenho o do ré mi
Essa é a minha terapia
Coloco pra fora a minha dor
Em forma de melodia
E vou fazendo serenata
Para o meu salvador
Entendi que só ele merece
A minha forma mais bela de amor.

Nenhum comentário: