domingo, 22 de novembro de 2015

Transition






Faltam menos de 2 meses,
pras 28 primaveras.
Analisando a minha estrada,
as minhas duras verdades secretas,
Concluí que: só sei que nada sei.

Metade de mim é drama,é doçura,é zuera,
a outra metade é estudo,é trabalho,é guerreira.
Os sonhos deixei pelo caminho
Lido agora com o real.
O luto,já perdeu seu ninho,
quero a excelência sob o mal.

As pedras do caminho, nem fumei,
nem guardei.
Taquei todas elas
no mar do esquecimento.
Assim vou levando a vida leve,
guardando meu lamento.

Lamento esse,que devo assumir
sem os mimimis de menina:
a verdade de mulher,
me faz querer sumir.
A adolescente que fui um dia,
jamais se orgulharia
do que estaria por vir...

Eu só peço a Deus
um pouco de malandragem
Mas não sou mais uma garotinha,
esperando o ônibus da escola.
Sou uma moça tentando sair
de um avião que não decola.

Não tenho mais medo,
de animal algum.
Já provei do bicho homem,
quer perigo maior então?
Atualmente,me ataca um Leão.
Ele não pode me destruir
nem comer meu coração.
Porque o coração petrificou,
doeu tanto que sangrou.

Nenhum comentário: