domingo, 17 de abril de 2016

Um amor não vai salvar você (By Fred Mattos,Blog Sobre a vida)





Há um mito na nossa sociedade que precisa ser quebrado, a ideia que o amor teria poderes de mudar uma personalidade.
Trabalho com mudanças pessoais, estudo para conhecer profundamente a personalidade humana, já entendi que o que compõe os traços pessoais são componentes genéticos, ambientais e psicológicos, também entendi que existem múltiplos fatores de mudança é que novos hábitos são trabalhosos para serem incorporados. Então, uma pessoa se apaixona e acredita piamente que aquilo tem um efeito profundo, consistente e duradouro sobre suas dores pessoais, mau hábitos pessoais e traumas do passado.
Honestamente fico muito feliz quando alguém acredita inicialmente que a paixão tem um efeito curativo na sua vida.

É bem verdade que a sensação de amar e ser amado tem múltiplos benefícios:
• Reduz os níveis de estresse
• Amplia o repertório pessoal
• Traz novas autopercepções emocionais
• Proporciona experiências emocionais corretivas
• Cria novos padrões de comportamento


Mas seria ingenuidade imaginar que um novo relacionamento tem esse poder de transformar problemas mais profundos ou transtornos mais resistentes.Na Psicologia é sabido do fenômeno de deslocamento, que é quando um sintoma muda de um lugar e vai para outro. Quando uma questão amorosa predomina no cenário de uma pessoa com fortes desequilíbrios pessoais o que ocorre é que eles só ficam latentes, levemente abafados pela euforia apaixonada.
Os obcecados amarão obcecadamente, os paranoicos amarão com ciúme, os deprimidos amarão com desconfiando próprio valor, os narcisistas amaram exigindo reiteradas provas de sua importância, os arrogantes amarão submetendo, os ansiosos amarão controlando cada passo da outra pessoa alegando cuidado, os fóbicos amarão criando medo, precauções desnecessárias.
Eu bem que gostaria que o amor tivesse esse efeito terapêutico, recomendaria na primeira sessão: seja amado e isso vai passar.
Curiosamente, as pessoas que procuram ajuda já amaram, foram amadas e mesmo assim suas questões estavam lá ressuscitando a cada momento que a euforia apaixonada passava detonando seus relacionamentos.
Não tenho dúvida que atravessar o fogo dos infernos interiores amparado por um amor é uma experiência incrível, mas não, o amor não cura tudo. Apenas apazigua nossa sensação crônica de solidão e isolamento. Como experiência humana isso é incrível, mas seria bom que as mudanças efetivas viessem por maneiras mais consistentes que uma carta de amor.

Nenhum comentário: